Projeto

Escola da Pedra Furada

1° lugar na Premiação IABsp 2018 – Edição especial 75 anos e 3° lugar no 8° Prêmio Saint Gobain (2021).

O projeto da Escola da Pedra Furada é uma demanda trazida por um instituto que atua em Sergipe com o objetivo de desenvolver soluções integradas entre tecnologia e processos humanos, tendo como áreas prioritárias a educação, saúde pública e economias criativas.

A escola carrega a missão de trazer melhorias nos índices educacionais e econômicos do Povoado da Pedra Furada e cercanias.

O processo de desenvolvimento da Escola da Pedra Furada reverte o processo de concepção clássico de se projetar em arquitetura. Nessa inversão, a comunidade para a qual a escola se destina é capacitada a desenhar junto e influenciar nas tomadas de decisão; assim, os ‘arquitetos’ de formação desempenham um papel horizontal e podem, com o seu conhecimento de técnicas especializadas, traduzir as intenções colocadas pela comunidade quando esta esgota a sua gama de expressão.

Uma série de oficinas foram estruturadas para a concepção de projeto junto com a comunidade. Desenhos e simulações em maquetes físicas foram executadas de maneira a ordenar arquitetonicamente os desejos e necessidades da comunidade.

A construção da Escola se vale, prioritariamente, do uso de materiais de natureza orgânica, uma forma de se adaptar à paisagem rural circundante; traz ainda uma relação com a identidade cultural construtiva dessa região litorânea de Sergipe. O projeto utiliza como sistema construtivo primário estrutura de concreto moldado in loco – fundações, pilares e vigamentos – e estrutura secundária em madeira. Para as paredes de vedação são utilizadas técnicas da construção com terra – taipa de mão e tijolos BTC. No piso, ladrilhos hidráulicos, acabamento encontrado nos casarões e igrejas dos tempos áureos de Santa Luzia do Itanhy.

Boa parte da edificação foi pensada para ser construída pela própria população local sob o regime de mutirão, empregando, após oficinas de capacitação, tecnologias da construção contemporânea com terra.

A obra da escola deixará um legado de conhecimento para a população local, impulsionando a estruturação de um núcleo tecnológico que terá como o seu primeiro objeto de trabalho a Escola da Pedra Furada. Esse núcleo tecnológico, voltado para técnicas da construção civil, capacitará a população do município para prestar serviços de construção com terra bem como poderá produzir tijolos BTC, ladrilhos hidráulicos, elementos vazados, entre outros materiais para a comercialização, dinamizando a economia local de forma criativa.

Esse website utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário Leia os termos de uso